4 de março de 2012

Feira Rio Antigo - Rua do Lavradio (Rio de Janeiro - RJ)



Rua Lavradio
 Aberta em 1771, pelo Marquês do Lavradio (D. Luís de Almeida Portugal e Mascarenhas, 5.º conde de Avintes e 2.º marquês do Lavradio), o Vice-Rei que muito contribuiu para a modernização do Rio de Janeiro, a rua do Lavradio foi a primeira rua da cidade aberta com finalidade residencial, como parte do saneamento dos encharcados terrenos que então existiam entre os Arcos e o Largo do Rocio (hoje, Praça Tiradentes), conhecidos também como Pantanal de Pedro Dias.


A linha que cinge o Brasil Colônia e Brasil Império
A Lavradio tem uma face curiosa e que poucos dão conta, pois liga o que foi construído no período de Brasil Colônia fortemente identificado nos Arcos da Lapa, e o que foi construído no período do Brasil Império e República, identificado na Praça Tiradentes. Possui prédios históricos dos séculos XVIII, XIX e XX, de grande importância histórica. Além disso, está extremamente próxima à arquitetura moderna da Avenida Chile.


Berço do nascimento da imprensa carioca
Em 1945 os comunistas instalaram na rua do Lavradio, as oficinas de seu primeiro jornal “legal”, a Tribuna Popular. Depois, quase defronte, Carlos Lacerda fundou a sua Tribuna da Imprensa.”
Rua dos Teatros.
A ebulição cultural do Centro se estendia aos muitos cinemas na Cinelândia, ao Teatro Serrador e aos muitos teatros da Praça Tiradentes, o Teatro Recreio na rua Pedro I, além dos grandes e famosos cabarés. Mas, no final do século XVIII e início do século XIX, a Rua do Lavradio disputava o prestígio cultural com a Praça Tiradentes, através dos seus vários teatros - a maioria deles, especializados em óperas e operetas como o Theatro Apollo (1890), o Theatro Polyteama Fluminense (1880), o Éden Lavradio (l895), o Theatro Lavradio (1824), (ou do Porphyrio, onde hoje funciona hoje a Loja Maçônica), o Theatro da Exposição de Aparelhos a Álcool (1903), o Theatro Circo (1876) e o Teatro High Life (1900), especializados em artes circenses.


 


Uma rua em decadência
Com a mudança da capital para Brasília, no início da década de 60, a cidade sofreu um grande baque em todos os sentidos, ao perder a condição de Capital Federal. Com o fechamento dos teatros da região, diversos casarões desocupados transformaram-se em depósitos de móveis antigos. Em 1991, havia na Rua do Lavradio, 25 brechós e antiquários e cerca de 50, somando todos da região. Desta forma, a rua que sempre foi um dos símbolos de efervescência da cidade, entrou em decadência acompanhando aquela vivida também pela Lapa e pela Praça Tiradentes. No início da década de 90, o estado era de caos total. A rua encontrava-se esquecida e em processo de degradação, sem nenhum investimento há anos, por parte do poder público, com a água fétida dos esgotos aparentes subindo até meio metro dentro das lojas, bares e antiquários após qualquer pancada de chuva de verão.
De rua de passagem a berço de antiquários

Se em seus primórdios, a Rua do Lavradio não tinha uma identidade própria e tinha como principal característica ser passagem entre a Lapa e a Praça Tiradentes, com o tempo e, face sua localização, ela ganhou personalidade. Falar em Rua do Lavradio é ter que necessariamente falar de seus brechós, antiquários e outros estabelecimentos, que aqui foram se instalando e que sempre se associaram com suas quitandas, leiterias, bares, bilhares e casas de espetáculos.



Feira do Rio Antigo
Em 1996, um grupo de antiquários e donos de bares e restaurantes, decidiu criar a Feira Rio Antigo, na Rua do Lavradio, unindo-se em torno da ACCRA - Associação dos Comerciantes do Centro do Rio Antigo. Com o sucesso da Feira, veio o Projeto de Recuperação e Reurbanização da Rua do Lavradio, pela Prefeitura do Rio, que contou com o apoio incondicional do então SubPrefeito, o arquiteto Augusto Ivan de Freitas Pinheiro. 




Rua do Lavradio hoje
Apesar da identidade própria, e de ter adquirido suas próprias características, a Rua do Lavradio hoje é muito mais que esta passagem não demarcada entre a Praça Tiradentes e a Lapa. Com todas as transformações ocorridas com os anos, a Rua do Lavradio se transformou num elo muito maior, entre a Av. Chile, a Praça XV, o Largo da Carioca, a Cinelândia e a Lapa. Com isso, acabou por se transformar e voltar a ser uma artéria importante no Centro, o coração da nossa Cidade, onde a atuação do Polo Novo Rio Antigo prima pelo aperfeiçoamento do desenvolvimento da feira e melhoria da atratividade local.

Puxa Saco do jornalista Ricardo Boechat
 


Alô RIOTUR informações turísticas
 0800-285-0555
 (21) 2542-8080
 (21) 2542-8004





Feira Rio Antigo – Feira da rua do Lavradio
Endereço: Rua do Lavradio.
Todo primeiro sábado de cada mês, das 10h às 18h.
Entrada Franca



Fonte: PoloNovoRioAntigo

Feira do Rio Antigo
O Leitura das Lentes está participando do projeto My City Antiquing - Um guia do viajante para lugares que vendem coisas antigas por todo o mundo. Visitem e conheça mais antiquários!

Um comentário:

  1. Cadê a foto do Ricardo Boechat sendo vendido como Puxa-Saco? Humm!!

    ResponderExcluir